«aquela magia da música que vem do éter, é um hábito que se está extinguir (…) a rádio enquanto escuta caseira é um hábito que faliu e que nos fugiu, e não há maneira de voltar». António Sérgio in "Suplemento DN" de 08 de Julho de 2005

domingo, 29 de julho de 2007

Mais uma promessa da RCP

Luís Osório, director da Rádio Clube (RCP), em declarações ao jornal Correio da Manhã, afirmou: «Comprometo-me a ganhar 100 mil ouvintes todos os anos». Ou seja atingir, em 2008, os 2,4% de Audiência Acumulada de Véspera. Depois da promessa (nunca cumprida) dos 20 a 25 convidados da RCP, sempre quero ver se consegue cumprir esta, que é muito mais complicada de concretizar.
É certo que as manhãs da RCP são dinâmicas e diferentes das outras estações com que concorre directamente (TSF, A1, RR), mas o resto do dia não. No entanto, o primeiro passo para a RCP atingir os objectivos propostos é uma nova grelha de programas, já a partir de 10 de Setembro.

13 comentários:

Anónimo disse...

A COISA PARECE QUE NÃO ESTÁ RESULTAR...

LEMBRAM-SE DE O OSORINHO TER DITO QUE A FULANA QUE FAZ AS TARDES IA SER UMA ESTRELA DA RÁDIO? POIS É, ESQUECEU-SE E AGORA LÁ VAI BUSCAR A ANA SONSA DIAS...VAMOS VER DURANTE QUANTO TEMPO É QUE OS ESPANHOIS VAO CONTINUAR A APOSTAR NO COVEIRO DA CAPITAL

Anónimo disse...

Lembrem-se de que a TSF demorou anos a ser considerada rádio de referência...

E não é num dia para o outro (não esquecer de que se passou de uma rádio 100% musical para uma rádio de "palavra) que se tem largas audiências...

E audiências não é tudo...

Anónimo disse...

Aprecio muito a nova programação do RCP. Mas considero que Teresa Gonçalves e Aurélio Gomes estão "subaproveitados". Quanto a mim, eles são fantásticos. Pelo menos espespero que continuem a partir de Setembro.
Estou em pulgas para ouvir o programa Minuto a Minuto com mais meios, porque, sinceramente, acho que JAF precisa. A rádio espanhola pode ter uma grelha similar e programas da manhã parecidos com o do RCP, mas conta com muitos mais meios (mais colaboradores, mais secções, mais pessoas a intervirem...) e isso faz toda a diferença.
Faltará dinamismo a Ana Sousa Dias para conseguir atrair os ouvidos dos portugueses no final da tarde? Pergunto-me isto porque eu, que até gosto bastante dela, não acho a algunha atrás referida -"Ana Sonsa Dias"- nada exagerada. É um pouco lenta e reflexiva a mais...
Calhava-lhe melhor um programa mais breve e mais concreto.

Espero que na próxima temporada Antena 1 RDP continue também a manter a qualidade à que já me tem habituado.

Cumprimentos desde Badajoz (Espanha)
José Ignacio Martín

Anónimo disse...

seis da manha.o candeias nao esta. so musica, ninguem o substitui. é assim q se perdem audiencias. ja tou com os copos...mas urge questionar, vcs nem conseguiram que clone do zé q foi substituir o ferreira de melo nas tardes de sabado voltasse às manhas? entretanto, durante o dia continuam os promos ao clube dos primeiros...tou cansando, vou procurar a ajuda do centro espiritual do reininho de deus. o pastor esta a dizer q eu tenho cura...

vitoscano disse...

Como já disse o João Adelino Faria Sozinho é pouco e o progrma arasta-se durante muito tempo ninguem consegue ouvir todo.O programa seguinte, que nem é ouvido em todo país, tem momentos sofríveis, a turtulia cor de rosa por exemplo. Tenho pena do Aurélio Gomes de que gosto tanto.O RCP precisava fosse a que hora fosse,(de madrugada não) de ter um programa de pelos menos 2 horas de musica e não só o espaço ás 23h as madrugadas não contam o que tem é manifestamente pouco.O das 17 as 19 não é mau mas precisava de outra roupagem.O Lugar Cativo tudo bem, mas o que vem a seguir por vezes não tem interesse nenhum(porque não concorrer com a tsf e a Idade da Inocência sem o noticiário á meia hora).Banda Sonora excelente programa.Entre as 00 e as 2 Posto de escuta uma tentativa um tanto frustrada de concorrer com a Renascênça mas tudo bem já tem clientes fixos.As Madrugadas até as 5h tudo bem mas depois temos aquilo já se ouviu na RR ainda por cima com o mesmo apresentador.Ao fim de Semana tem espaços sem lógica nenhuma,Best of Clube dos Primeiros para esquecer 2h deitadas fora.Na sombra da História é um bom programa num péssimo horário, o mesmo acontece com o Programa Mapa Mundo.O programa do Daniel Sampaio escusado repetir, ainda para cima a coincidir com o programa do Dr Julio Machado Vaz na Antena1. A redução do tempo do Transantlântico e do Hot Club péssima.Um espaço entre as 14 e as 15 de Domingo com musica sem lógia e desgarrado.O progama da tarde dos fim de semana até é interessante.Ou seja é uma programação em que as tardes de Segunda a Sexta precisam de mudar e muito(a maioria esta trabalhar não pode ouvir conversa)e aos fim de semana a parte da tarde entre as 13 e as 16 precisa de mudar muito, porque não por ai no Domingo o Transatlântico entre as 14 e as 16 e aumentar á noite o Hot Club 22-00.

Anónimo disse...

FALTA DIZER QUE REINAM GRANDES SARILHOS NAS EMISSÕES LOCAIS

Anónimo disse...

GIGANTESCOS SARILHOS, diria eu.
Maus animadores, maus jornalistas, mau trabalho... tudo mau.

Anónimo disse...

Só falar mal sem argumentos... Onde estão as soluções? Este nosso país vive muito disto. Fala-se mal de tudo, mas na hora de apresentar soluções tudo se cala... Os interesses...

Inês disse...

Falta música no RCP.
O Banda Sonora é bom, porque o apresentador é bom. Tudo o resto dá a ideia de se estar a ouvir uma rádio universitária.
Quanto ao comentário anterior, as soluções deveriam vir de quem dirige a rádio e para isso recebe ordenado, não?
Os profissionais da rádio estão muito pouco habituados a ser escrutinados. Há que ouvir as opiniões, ainda que não se concorde com elas. Mas, honestamente, estarão os profissionais do RCP satisfeitos com a emissão?
É minha opinião que Luís Osório não tem qualquer capacidade para dirigir uma rádio, ou um jornal, ou seja o que for. Teve um rasgo de génio com o zapping (muito bom) e depois nada mais saiu daquela cabeça.
Seja como for, como já perguntei noutro blog, de que serve a uma rádio estar integrada num grande grupo económico se depois tem óbvia falta de meios? Soa pobrezinho, o RCP.

Anónimo disse...

Não me identifico com a música que o RCP passa...

Para quando teremos uma Cadena SER em Portugal? Infelizmente vai ser difícil, pois os portugueses, como em tudo o resto, gostam que lhes dêem música... De preferência "só grandes músicas..." Bah!

vitoscano disse...

O RCP devia como já disse passar mais musica sim senhora, 2 a horas diárias pelo menos entre as 15 e as 17 por exemplo(passando por exemplo emissão regional e com mais qualidade das 13 as 15,o Aurelio e a Teresa fariam o mesmo horário 2 horas reginais e duas musicais) com os éxitos actuais novos lançamentos e um que outro clássico claro.Mas ter tambem por exemplo programas semanais como o Transatlântico aos Domigos das 14 as 16(aumentando assim o tempo do Hot-Club á noite para 2 horas coisa que nunca devia perder) e aos Sabados no mesmo horário um com clássicos do século xx.Ter tambem um para coisas mais marginais como até vai tendo com o Quase Famosos.Querem Turtulia Cor de Rosa, que tal uma vez por semana na vez da repetição do Esfera Armilar.Evitava-se assim a repetição de programas o que em rádio acho um poco estupido e para mim é mais que suficiente para essa temática.

Anónimo disse...

Vitoscano,

Para si o RCP tornava-se uma rádio musical... O RCP quer ser uma rádio de PALAVRA! Se quer ouvir música tem bom remédio: mude de estação. Não leve a mal, mas que coisas tão mesquinhas, pá.

vitoscano disse...

Eu só fiz a proposta de 2h de tarde e 1h á noite de musica de Segunda a Sexta não terminando o programa das 23h e umas 4h por dia ao Fim de Semana temáticas.O RCP não pretende, nem eu quero que seja uma rádio de música, mas sim de palavra.Para estar a ouvir Shakira Nelly Furtado James Blunt ou Pedro Abrunhosa, todos os dias já cá temos que chegue. Nem a própria TSF é 100% noticias e palavra, se assim fosse terminava já o programa a Idade da Inocência(um dos raros espaços de música com interesse nas rádios nacionais, falo eu que só tenho 30 anos) e o horário entre as 15 e as 17 tambem não é muito propicio para a audição de noticias e palavra em rádio.