«aquela magia da música que vem do éter, é um hábito que se está extinguir (…) a rádio enquanto escuta caseira é um hábito que faliu e que nos fugiu, e não há maneira de voltar». António Sérgio in "Suplemento DN" de 08 de Julho de 2005

quarta-feira, 1 de agosto de 2007

“Omeletes sem ovos”

A Associação portuguesa de Radiodifusão (APR) – que representa uma grande parte das emissoras portuguesas, com excepção da RDP e da RR – e os sindicatos do sector, acordaram a tabela salarial para este ano e que vigora desde o início de Julho. Segundo a nova tabela, o valor mínimo é € 400,24 e o máximo é € 1240,74. De referir que o valor mínimo está abaixo do Salário Mínimo Nacional, que é de € 403,00.
Num texto do ano passado, sobre este mesmo assunto, pode ler-se que «alguns factores contribuem para que a rádio não tenha um nível elevado e um deles é o grau de especialização de quem nelas trabalha. Outro é a fraca retribuição que os trabalhadores das emissoras portuguesas auferem». Há uma relação entre estes factores.
Este é, infelizmente, um espelho do país. O que se passa na rádio, passa-se em outro sectores. E não adianta o governo apresentar figuras públicas em anúncios de televisão onde se diz que “este é o fulano de tal que não acabou os estudos”, quando se pode contrapor com dezenas (centenas?) de jovens que trabalham em lojas, hipermercados, etc. cuja actividade nada tem a ver com a área em que se licenciaram (a maioria na área da comunicação). Claro que, se calhar, até auferem um salário maior a trabalhar no comércio do que a trabalhar em rádio.
Os salários dos trabalhadores da RDP não estão a este nível. E ainda bem. Mas se a função pública é referência para o salário da actividade privada, também não deveriam os salários dos funcionários da RDP (pagos pelo povo) a referência para a tabela salarial do meio?

4 comentários:

Elca disse...

Pois é. Paga-se mal e porcamente e depois o resultado vê-se (ouve-se). E a verdade é que a RDP paga bem acima do valor máximo da tabela.

BC disse...

Posso dizer que há ordenados de milhares de euros. quem é que vive com 400 euros por mês? Andam a bricar com os portugueses. Mas o problema é que os patrões querem reaver rapidamente o investimento, sendo que os primerios lucros é para comprar um carro de luxo para mostrar ao vizinho.

BC disse...

quando me referi aos «ordenados de milhares de euros» estava-me a referir à RDP, claro.

frank disse...

Rádios há, onde a empregada de limpeza ganha mais á hora, do que, o locutor de serviço.. :|