«aquela magia da música que vem do éter, é um hábito que se está extinguir (…) a rádio enquanto escuta caseira é um hábito que faliu e que nos fugiu, e não há maneira de voltar». António Sérgio in "Suplemento DN" de 08 de Julho de 2005

terça-feira, 10 de julho de 2007

Consumo de rádio diminui

A rádio portuguesa perdeu cerca de 100 mil ouvintes no segundo trimestre de 2007, em comparação com o mesmo período de 2006. Segundo o Bareme - Rádio, da Marktest, «as audiências de rádio mantêm a tendência descendente, com uma quebra de 1,8% (…)».
Ainda segundo o Bareme - Rádio, neste segundo trimestre, a estação líder continuou a ser a RFM, com 14% de Audiência Acumulada de Véspera (AAV), seguida pela Rádio Renascença com 10,2% de AAV. Na terceira posição está a Rádio Comercial, com 6,2%, seguida da Antena 1, com 5% de AAV. A Cidade FM é a quinta emissora mais escutada, com 4,6%, sendo que na posição imediata está a TSF - Rádio Notícias com 4,4%. A Antena 3 conseguiu apenas captar 2,9% de AAV, seguida da Mega FM que só atingiu 1,5%.
A Rádio Clube continua em queda, tendo apenas 1,4% de AAV, e na décima posição está a Best Rock FM, com 0,8%. O último lugar é ocupado pela Antena 2, que obteve 0,6% de AAV.
As audiências de rádio devem ser comparadas com o período homólogo de 2006, e com o primeiro trimestre de 2007.

11 comentários:

vitoscano disse...

É normal o RCP não ter audiência por exemplo o espaço do 12h as 17h de Segunda á sexta as vezes é uma real seca, então o espaço de turtulia Cor de Rosa por volta das 15h rídiculo e depois nem pode ser escutado em todo o país.Demasiado Programa da manhã não ha quem consiga ouvir todo.Alguns programas sem sentido ao Fim de Semana por exemplo Best OF Clube dos Primeiros do Candeias.O espaço do Jose Candeias é uma cópia do que ele já teve na Renascença. A redução em uma hora do programa Hot Club. Uma programação um tanto ou quanto desconexa.
Tenho só pena que as pessoas continuenm a ouvir a RFM(bem melhor a comercial para mim, vai tendo alguns programas de autor como o do Antonio Sergio,Água e Sal 80 á hora,etc e a playlist parece-me amim que é alterada mais vezes) que não tem programação e se limita ser uma grafenola de exitos sempre os mesmos e demora muito para que a PlayList seja alterada um pouco,excepsão feita ao RFM Clubing.Vivam as rádios do estado que ainda vão tendo programas diferentes deste Ram Ram habitual.

diariamentecomigao disse...

Hum... não escuto muito rádio... Nem aki no Brasil, muito menos em Portugal hahaha
mas acho q rádio ultimamente tá perdendo muitos ouvintes por causa nã´das rádios. Tipo, todo mundo tem internet, todo mundo tem mp3, iPod, essas coisa, escutar Fm tá virando coisa de velho ou perca de tempo... eu msm só escuto Fm pra escutar jogo de futebol quando não passa na televisão =//

hehe passa nu meu blog tbm !!!!
http://diariamentecomigao.blogspot.com

abraçosss

vitoscano disse...

É Sabado 12 e pouco vai começar o programa 80 á hora na Comercial(excelente programa), cheguei um pouco atrasado estou a escutar num radio a pilhas, oiço duas excelentes musicas e só depois reparo que afinal estava a escutar um programa identico na Antena1 o 80 vezes 2.Se querem fazer um programa destes façam noutra hora á tantas(o da Antena 1 até tem 2 horas parece).A Antena1 já passa pouca musica e depois vai fazer um programa igual(já pouca gente ouve rádio pior assim) que depois em parte coincide com o horário do outro, por favor mudem isso(já nem sei qual ouvir pois ambos são bons, fazer Zapping foi coisa que nunca fiz em rádio).

vitoscano disse...

Tantos programas sobre decadas em duas horas ás 11h tambem existe na RR um dedicado á decada de 70.

André Garcia disse...

E depois ainda dizem que não há programas de autor na rádio...

Visitem: http://www.mundodaradio.lusopt.info/forum/

André Garcia disse...

E ainda há o Luís Filipe Barros, com as suas Ondas Luisianas, sábados ás 17 horas e Domingo á meia-noite...

Nuno Abreu disse...

Bem sei que os números do Bareme são pagos... e caro. Quem os quiser, que os compre. MAS mesmo assim atrevo-me a perguntar-pedir se não seria possível dar-nos aqui alguns dados muitíssimo importantes. Por exemplo: A mudança do Fernando Correia da TSF para o RCP alterou ou não o seu auditório?
O principal noticiário das rádios é o das 08:00 H. Qual é o campeão de audiência: o da RR, o da Antena 1, o da TSF ou o do RCP?
O horário do João Paulo Guerra na manhã da Antena 2 faz subir ou descer as audiências?
Quando 4 rádios fazem relato do mesmo jogo, qual delas tem mais ouvintes?
Eu sei, repito, que estes dados existem mas, para ter acesso a eles, é preciso pagar à Marktest. Mas seu estiver enganado, seria possível saber estas coisas neste preciosíssimo blogue?

vinylfm disse...

Quase tão interessante como o vosso blogue, mas com muito melhor musica. Dirvitam-se….

VINYL FM 103.9 – TOCA O QUE TU GOSTAS!

A emitir em 103.9 FM a partir da Serra do Buçaco (Luso), já está no ar a VINYL FM, a nova rádio jovem dos distritos de Aveiro, Coimbra, Leiria e Viseu.
"NA MORADA DA NOITE, NAMORADA DA MÚSICA" a VINYL FM é a rádio que está a mexer com o party people e é a única do seu segmento a disponibilizar 24 horas de programação local.

A VINYL FM 103.9 é uma CHR – Contemporary Hit Radio, que aposta nos grandes êxitos do momento. É a estação que só emite o Top dos Tops! Só toca músicas de Sucesso. Há quem dê 3 sem sair de cima… outros dizem que dão 7 seguidas…e há quem prometa uma hora sem parar... Mas a VINYL FM dá mais! Muito mais! São cento e três…103 minutos e 9… nove segundos… sempre a bombar. Sempre a bombar!

A nova emissora resulta de um acordo de Naming right celebrado com as discotecas VINYL Coimbra e VINYL Plazza (Figueira da Foz) – eleitas pela prestigiada revista FHM como duas das discotecas mais fashion do verão 2007.

Como as férias devem ser uma festa permanente, a VINYL FM promete "MAIS DANÇA, MAIS NOITE". Assim, durante este período, 97% da emissão da rádio é preenchida com as grandes malhas da dance music (70%) e os melhores Hits da cena Pop e R&B (27%). Um verdadeiro iPod! Uma mega Dance party. Escutem e Verão!

Com a VINYL FM 103.9 os jovens do Centro passam a contar com uma verdadeira alternativa às rádios lisboetas que emitem programação jovem e que podem ser sintonizadas na região. Emissoras que passam os dias a falarem nos engarrafamentos no Nó do Fogueteiro ou das bichas do IC19. Mas não lhe explicam o que se está a passar na sua cidade ou como andam as coisas pela sua universidade. Muito menos desejam saber como está o mar na Ericeira ou de participar em passatempos para ganhar entradas para um concerto na Buraca promovido por locutores com nome de electrodoméstico. Eles querem é informação sobre o estado das ondas no Cabedelo ou como podem ganhar um convite à pala para a sua discoteca preferida.

A VINYL FM irradia a partir da Cruz Alta, no topo da Serra do Buçaco, o que lhe permite ter umas das mais amplas coberturas da região Centro, alcançando mais de 40 concelhos. Também pode ser escutada, com excelente qualidade sonora, em grande parte da A1, (Auto-Estrada do Norte) entre as portagens de Feira e Fátima, num percurso com mais 150 kms. A malta que está a trabalhar para o bronze pode ligar o cantante em FM 103.9 nas praias da Costa Nova, Vagueira, Mira, Tocha, Pedrógão, São Pedro de Moel ou Vieira de Leiria.

A VINYL FM é a rádio onde os jovens estão sempre na Guest List. Este verão a senha é "DEIXA-TE LEVAR POR ESTA ONDA… ENROLA-TE COM A VINYL FM!!!"

103.9fm@gmail.com
Vinyl@blogspot.com

vitoscano disse...

Repetir dentro da mesma rádio tudo bem como é o caso do Luis Felipe Barros, ou do programa vozes da Lusofonia Ambos da Antena1.Agora colocar programas temáticos idênticos aos de outra rádio a passar á mesma hora esta mal.Podemos então aos Sabados de manhã começar da decada de 70 do seculo xx na RR a partir das 10(por férias do Antonio Sala),passar pelos 80 apartir das 11(coincidindo entre as 11/12 com a RR anos 70 e das 12/13 com a Comercial anos 80 tambem com o Pedro Ribeiro)e apartir das 13h na Comercial passar pelos anos 90 com a Vanda Miranda.Grandes Memorias aos Sabados pela manhã pena não existir um programa expecifico das décadas de 50/60

Luis Carvalho disse...

Abstenho-me de comentar as audiências da Marktest, tendo em conta os meios de obtenção dos dados estatísticos e a parca informação acerca das rádios locais.

Todavia, não posso deixar de comentar uma realidade incontornável em Portugal: o modelo "cassete FM" (talvez seja melhor actualizar esta alcunha para "iPod FM"...), em que um computador toma conta da emissão e por vezes com o acompanhamento de um animador, qual papagaio - a "palrar" as horas, os nomes das músicas e umas piadas de vez em quando - estilo RFM, Comercial, M80, ... MCRs, RR, & C.ª , não serve os interesses dos ouvintes, que hoje em dia tem a possibilidade de ouvir música sem interrupções e com melhor qualidade sonora (ficheiros comprimidos de áudio digital, CD, DVD...) - com a vantagem de ouvirmos apenas o que gostamos!

Uma boa estação de rádio tem de saber aliar a palavra, a informação, o confronto de ideias, com o entretenimento, a cultura, etc. - "isso" chama-se "programas de autor".

Num programa de autor, há humanização da rádio, há apresentadores a falarem de matérias de interesse, por vezes também com a interacção dos ouvintes, (via telefone, correio electrónico ou outros meios) - podendo ter música escolhida pelo animador, sem pressões exteriores de editoras discográficas ou artistas...

Ora, a rádio em Portugal, com a honrosa excepção da RDP, da TSF, RCP e de algumas locais tem seguido o modelo de "pouca palavra, muita música", apostando em passar os discos enviados por artistas e editoras interessados em utilizar as rádios para promover trabalhos, prejudicando alguns artistas e géneros musicais que não se encontram bem representados junto do público. Felizmente, algumas (poucas) rádios tem apostado em música mais alternativa, fugindo dos grandes "hits" nacionais e internacionais.


Por último, apenas gostaria de fazer um pequeno comentário acerca do novo modelo do Rádio Clube (Português): Considero que ainda há muito para fazer nesta estação da MCR, tendo em conta o amadorismo e falta de qualidade humana e técnica que é por vezes é "visível" nas emissões do RCP. Para nã falar nas mudanças, que em nada ajudam a fidelizar ouvintes. Se a MCR quiser credibilizar o RCP, é melhor (re)pensar a estratégia da emissora...


Cumprimentos,
Luís Carvalho

Nuno Paixao disse...

Enquanto as rádios continuarem a apostar no mesmo conteúdo para concorrerem entre elas, mais iguais ficam. Obviamente que o ouvinte tende a procurar estações que não metem sempre a mesma música.
Como não encontra, procura outros métodos, nomeadamente CDs/MP3/iPod/etc e cada x estes se instalam mais, e lá se vão definitivamente mais ouvintes das rádios.
Isto é um caminho que, para ser travado ou revertido, as rádios terão de apostar em irreverência, novos conteúdos, explorar mercados diferentes, basicamente criar Rádios temáticas, visto o conteúdo comercial já estar esgotado, sem margem para concorrência.
Vemos o caso da Oxigénio, EuropaLx, Radar...a conquistar mercado selvagem

Outro acontecimento que nunca percebi foi de há uns anos atrás a Media Capital ter posto fim ao sucesso da anterior rádio Comercial, denominada Rádio Rock, que estava quase a chegar ao primeiro lugar. Nesse preciso momento, a Media Capital aceita um novo projecto do Pedro Tojal com objectivo de concorrer directamente com a RFM, com conteudos muito semelhantes.
Já nem se aplica a máxima "equipa que vence não se mexe" e acabou por dar buraco, como seria de esperar!