«aquela magia da música que vem do éter, é um hábito que se está extinguir (…) a rádio enquanto escuta caseira é um hábito que faliu e que nos fugiu, e não há maneira de voltar». António Sérgio in "Suplemento DN" de 08 de Julho de 2005

domingo, 13 de abril de 2008

A Memória da Rádio Altitude

Via e-mail, chegou esta informação da Altitude FM:

«Mais de 120 horas de arquivo de programas e rubricas já se encontram disponíveis no novo podcast ALTITUDE: MEMÓRIA, acessível em http://www.altitudememoria.mypodcast.com/. Depois do sucesso que foi o podcast ALTITUDE: RÁDIO (em http://www.altitude.mypodcast.com/), onde é feita a actualização diária de conteúdos, foi iniciado um esforço para colocar online parte substancial do valioso arquivo sonoro da Rádio.

Simbolicamente o ALTITUDE: MEMÓRIA é disponibilizado no dia em que passam quatro anos desde o início da primeira Grelha de Programas estruturada (em 12 de Abril de 2004), depois de ter sido designada nova Direcção e nova Equipa (a 1 de Janeiro daquele ano), altura em que começou a caminhar-se para a consolidação do actual Projecto, através de um esforço em várias frentes: estratégia; planeamento; recuperação; modernização; afirmação; melhoria de meios e condições de trabalho; valorização de recursos, definição e reinvenção de modelos de programação centrados numa selecção musical de qualidade e numa informação regional dinâmica; conquista qualitativa de públicos.

Este tem sido o desígnio contínuo de uma pequena mas muito profissional e motivada equipa. Um trabalho que começou a ter expressão em 2004, que abraçou importantes desafios informativos em 2005 e que fixou em 2006 a matriz da actual Grelha de Programas, que vai na III Temporada.

É muito desse trabalho que agora está disponível no podcast ALTITUDE: MEMÓRIA, no desenvolvimento do conceito de self-media em que a Rádio também aposta. Neste tributo à História da Região nos últimos quatro anos, encontram-se online quase seis dezenas de edições do programa de grande entrevista Argumentário, onde muitas figuras rasgaram silêncios. Também é possível descarregar as edições de 2004, 2005, 2006 e 2007 de uma das marcas de referência desta Rádio: a Revista do Ano. Assim como primeiras edições de programas de autor, como o Sexto Sentido (o debate político semanal, iniciado em Fevereiro de 2006). E, para memória futura, todas as edições do Jornal da Campanha das eleições legislativas de Fevereiro de 2005, tal como alguns debates que antecederam as eleições autárquicas do mesmo ano. Há ainda trabalhos registados nos afectos da Rádio, como a visita a São Pedro do Rio Seco guiada pelo mais notável dos naturais da aldeia: o ensaísta Eduardo Lourenço.

Este é um arquivo aberto, que irá conhecer progressivamente novas entradas à medida que a Rádio for organizando aquele que é, sem dúvida, o mais completo acervo sonoro sobre a História da Guarda e da Região.

Um tributo à memória e um reconhecimento aos protagonistas. E uma homenagem ao trabalho de uma Equipa.

Refira-se que o podcast ALTITUDE: RÁDIO, que desde meados de Fevereiro último disponibiliza a actualização diária de programas, rubricas e crónicas, teve até à data (em menos de dois meses) quase 5300 visitantes. Os ficheiros disponíveis foram objecto de 2290 descarregamentos (downloads). Razões suficientes para a Rádio procurar retribuir esta relação de sucesso, oferecendo agora, pela mesma via, novos conteúdos da mesma marca: ALTITUDE. Enquanto, em permanência, se reinventa a si própria – para ser MAIS RÁDIO, MELHOR RÁDIO».

2 comentários:

PR disse...

E a Onda Média, senhores da Rádio Altitude?

DEsinteressaram-se por completo? A ERC já está à caça do alvará dos 1584 kHz...

Anónimo disse...

Já naveguei pelo podcast (são dois: um com a actualização diária e outrso com arquivo de programas desde 1994) e fiquei incrédulo. Há um trabalho enorme, muito profissional e de grande qualidade técnica. Chamar à Rádio Altitude rádio local é um insulto. A excelência de alguns programas (atente-se, por exemplo, na Revista do Ano) faz ver a muitas rádios nacionais. Não sei se é tudo produção própria ou não, a verdade é que as vozes são quase sempre as mesmas. E no site a Rádio Altitude afirma que só transmite aquilo que produz. Sendo assim, esta rádio do interior devia ser objecto de estudo, tanto mais que há poucos anos havia notícias de quase falência, conturbações internas, etc. Afinal, houve quem pegasse na mais antiga rádio local do país. E certamente que a Onda Média não tardará, se eles o dizem. Ouvir todo o arquivo em podcast devia ser uma lição para muitos profissionais do meio.