«aquela magia da música que vem do éter, é um hábito que se está extinguir (…) a rádio enquanto escuta caseira é um hábito que faliu e que nos fugiu, e não há maneira de voltar». António Sérgio in "Suplemento DN" de 08 de Julho de 2005

segunda-feira, 5 de março de 2007

A Internet como extensão da rádio - I

É um facto que a Internet é, cada vez mais, um medium agregador. A rádio, a televisão e os jornais já não dependem dos meios físicos tradicionais de difusão (papel e ondas electromagnéticas) que lhe são distintivos, pois passam a fazer parte da mesma plataforma, estando, portanto, praticamente ao mesmo nível, já que neste espaço podem apresentar características que eram exclusivas de apenas um deles. Texto, fotografias, vídeo e áudio já não são exclusivos deste ou daquele meio, mas sim de todos. E pode-se ir muito além disto.
O espectro electromagnético, para transmissão radiofónica, é limitado. Se a banda de radiodifusão permitisse que o número de emissoras temáticas fosse ilimitado, de certeza que seriam uma para cada tipo de gosto. A banda de radiodifusão é limitada, mas a Internet, aparentemente, não. É aqui que as emissoras temáticas, que poderão não ser rentáveis em F.M. ou em A.M., podem existir.
Praticamente todas as estações de radiodifusão tradicionais estão na Internet, com a emissão em linha e com muitas outras informações que se acham relevantes para os ouvintes. Mas outras emissoras, que já deixaram o éter, regressam agora na grande rede mundial.
Um exemplo de uma emissora temática, que emitiu em F.M., na década de 1980, na Holanda, é a Rádio Stad Den Haag - uma emissora pirata que encerrou em 1988, mas que dezassete anos depois regressou... na Internet. O género musical que é o seu suporte (Italo-disco) é um estilo que está praticamente afastado das estações radiofónicas, excepto em rarissímos programas pontuais ou temáticos. No entanto, parece que esta emissora tem algum sucesso - fruto, talvez, da onda nostalgica existente em relação à década de 1980 - pois tem bastantes anúncios publicitários (não sei o que anunciam, já que não compreendo o idioma), tal e qual uma estação hertziana. O espírito positivo está presente, pois os seus responsáveis dizem, e bem, que voltaram «num medium que cobre o mundo».
Quem quiser pode escutar a Rádio Stad Den Haag pode fazê-lo em mp3, em real audio ou em wma.
Pela emissora destacada, este texto é dedicado ao “Queridos Anos Oitenta”, um blogue que nos leva em viagens (a muitos de nós às recordações da adolescência) até à década em que a rádio portuguesa renasceu.

4 comentários:

Vitor Soares disse...

A Internet é, de facto, um medium cada vez mais agregador. Para além da rádio, televisão e jornais, que utilizam já a plataforma da web, também o serviço da agência de notícias Lusa passou a estar on-line através do sapo em http://noticias.sapo.pt/lusa

tarzanboy disse...

Obrigado pela dedicatória! Era engraçado que algumas rádios portuguesas, ditas piratas, nos anos 80, "ressuscitassem", como neste exemplo holandês. Quem não se lembra - falando no contexto do Porto - da Rádio Caos, da Rádio Cultura, da Rádio Activa, etc... Eram tempos de alguma ingenuidade na maneira como se fazia rádio, mas também de muita autenticidade. E muitos daqueles que hoje são profissionais da rádio e da televisão tiveram ali o seu melhor estágio.

frank disse...

Realmente já nem me lembrava deste tipo de sonoridade. Velhos tempos dos Bad Boys Blue... mas na Internet encontras de tudo. Até há Rádios a passarem só música Portuguesa... e ainda há quem se preocupe com percentagens...;)

Wisley Souto disse...

É bem verdade que cada um tem passado por seus momentos inesquecíveis gostaria de sugerir a Rádio Studio Souto que é especialista em anos 80 acesse: http://www.wisleysouto.com.br