«aquela magia da música que vem do éter, é um hábito que se está extinguir (…) a rádio enquanto escuta caseira é um hábito que faliu e que nos fugiu, e não há maneira de voltar». António Sérgio in "Suplemento DN" de 08 de Julho de 2005

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Antena 1 a Reboque das Outras?

No anúncio das manhãs renovadas da Antena 1, aparecia (pelo menos até 3.ª feira) o nome “Nem é Tarde Nem é Cedo” (03h-05h - 3ª a Sábado). Acontece que um nome assim confundia-se com o programa “Mais Cedo ou Mais Tarde”, da TSF. Alguém na rádio pública notou isso e o título “nem é tarde nem é cedo” foi retirado.

De algum tempo para cá, a Antena 1 tem adoptado formatos de sucesso de outras estações emissoras portuguesas. É o caso do “Antena Aberta”, cujo modelo é o “Fórum TSF” ou, mais recentemente, a “Conferencia Antena 1”, muito idêntica à “Conferência Reuters – TSF”.

A questão é: será que o sector privado está a indicar o caminho do como se presta o serviço público de rádio à RTP? Nem no provedor do ouvinte a Rádio Publica foi pioneira, essa inovação pertence à Rádio Altitude, da Guarda.

3 comentários:

José Luís Proença - CT1GZB - disse...

Sim, de facto assim é há bastante tempo. Mas, a TSF (rádio da qual sou ouvinte desde a 1ª guerra do Golfo) também tem "culpa no cartório". Veja-se o que aconteceu como programa dedicado ao cinema. A equipe TODA mudou-se para a Antena 1. Neste caso a rádio pública fez muito bem em "aproveitar" aqueles profissionais, tal como aconteceu com a Eduarda Maio.

Paulo Silva disse...

A verdade é que a TSF paga pouco a alguns e muito a outros. Depois deixa sair os mais aptos. E os que lá estãõ a ganhar milhares e nada apresentam que se veja?

Anónimo disse...

o orçamento da A1 (só da A1) é três vezes o da TSF; é impossível 'competir' com a A1. Se a A1 quisesse comprava toda a redacção da TSF!