«aquela magia da música que vem do éter, é um hábito que se está extinguir (…) a rádio enquanto escuta caseira é um hábito que faliu e que nos fugiu, e não há maneira de voltar». António Sérgio in "Suplemento DN" de 08 de Julho de 2005

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

António Sérgio ao JN

António Sérgio, um grande senhor da rádio portuguesa e "o último dos resistentes", deu uma entrevista ao Jornal de Notícias (JN), na passagem do seu 40.º aniversário em frente aos microfones da rádio.

É “o último dos resistentes” porque dos animadores radiofónicos da sua geração (que começaram na década de 1960/70) já nenhum faz rádio como gostaria e em muitos casos já se dedicaram a outras actividades.

4 comentários:

Elca disse...

É mesmo "o último dos resistentes"...

Hugo Cunha disse...

Não se esqueça de 2 grandes que ainda passam +/- o que querem e que se encontram na Antena 1 falo de Luís Felipe Barros e o grande impulsionador do Jazz José Duarte e já agora ainda Júlio Isidro que têm um pequenissimo apontamento(bem que podia ser uma 1h inteira por semana) na Antena1(o ex provedor da rádio é que podia voltar ás manhãs de Fim de semana da Antena1 com o seu excelente espaço de música latina).

Hugo Cunha disse...

Que se lhe parece a rádio Sim do grupo RR? Pessoalmente gostei aqueles clássicos merecem ser ouvidos, apenas acho que não devia ter como têm espaço de relatos de futebol e afins pois para isso já têm a RR o mesmo em relação ao Terço ás 18.30.

BC disse...

Escuto o António Sérgio desde os saudosos tempos do "Som da Frente". Aliás, "Som da Frente" chegou a ser sinónimo, aqui em Portugal, de determinadas músicas. Lembro-me de Loverboy, U2, Simple Minds, The Smiths, etc. A malta, quando escutava um destes grupos, dizia logo: «epá, isto é som da frente».
O Senhor continua em grande.