«aquela magia da música que vem do éter, é um hábito que se está extinguir (…) a rádio enquanto escuta caseira é um hábito que faliu e que nos fugiu, e não há maneira de voltar». António Sérgio in "Suplemento DN" de 08 de Julho de 2005

terça-feira, 11 de setembro de 2007

Os dinheiros da Rádio e Televisão de Portugal

Segundo o “Diário de Notícias”, «cada português pagou, em média, 434 euros por ano para a RTP». A questão é esta: com esta verba não seria de termos um melhor serviço público de radiodifusão? Os ordenados da RTP e RDP são bem superiores aos de qualquer emissora privada e os equipamentos técnicos também, mas nem sempre o serviço prestado é superior ao das estações privadas.
Num país onde muitos portugueses auferem o ordenado mínimo (pouco mais de 400 euros), onde o governo propaga que é necessário diminuir a dívida pública, etc., paga-se verbas absurdas para um serviço que muitas vezes é prestado por estações privadas.
Corr. 12/09 - O “Diário de Notícias” corrigiu a notícia. Afinal são 43 euros por ano, que cada português paga, em média, para o serviço público de radiodifusão.

5 comentários:

Mar Verde disse...

o DN fez mal as contas

mas isso invalidar achar um absurdo que todos os anos de enterre 250 milhões de euros na RTP e associadas

devia-se privatizar

Luis Carvalho disse...

Por mal que se diga da RDP, ninguém pode desmentir que o Serviço Público continua a destacar-se positivamente dos operadores privados.

Primeiro, a nível de programação: a RR ou a MCR apresenta música erudita ou jazz, na programação habitual? A Antena 2 sim.

Os privados têm programas de autor durante várias horas por dia, destinados a um público jovem? Por mal que se diga da 3 e da sua "playlist", a "Antena 3" não se compara com a Cidade FM, Mega FM e outras "cassetes" onde a "playlist" fixa nas 24 horas do dia impera.

Entre outros exemplos de bom serviço público...

Por outro lado, não menos importante, são as condições técnicas: de que serve uma Rádio Comercial com uma rede nacional de emissores que é captada com dificuldades nalgumas zonas do país, para além da deficiente manutenção dos emissores existentes? Basta ver o exemplo dos 97,7 MHz Valongo, para não falar noutros casos mais graves, como o Mendro e Grândola...


O Rádio Clube (Português), idem...

A rede regional sul é bastante fustigada por avarias e falhas técnicas, nomeadamente nos 106,4 MHz Mendro; por vezes 106,7 MHz Portalegre e 107,5 MHz Grândola... Ainda ontem, os 96,4 MHz Montejunto esteve desligado!

Não quero estar a criticar gratuitamente a MCR, mas nas condições em que operam os emissores no Sul do país, não vão muito longe...

Já a RR, a nível de condições técnicas, depende: os emissores próximos dos estúdios regionais funcionam a 100%, mas outros sofrem por vezes avarias que levam dias a serem solucionadas!

De referir, que o emissor de Muge (594 kHz), da RR está desligado há mais de um mês devido a manutenção, prejudicando a recepção da RR na Onda Média... Esperamos que tudo fique normalizado em breve...


Uma coisa tenho a certeza: são raras as anomalias nos emissores da RDP, ao contrário da RR e MCR nalgumas zonas do país...

Não esquecer que nalgumas regiões, especialmente no interior, não existem grandes alternativas à RDP, RR/RFM e Rádio Comercial, pois em vários casos não existem emissores do RCP (no Norte do país), da TSF (no Sul), das restantes rádios da MCR, da Mega, e para nem falar de R. Europa Lx, Radar, Oxigénio, Marginal, ... (que só se captam na Grande Lisboa). As rádios locais, ou foram adquiridas pela MCR, RDS e grupos afins, ou, no caso da maioria, insistem em passar música popular e programas de "discos pedidos" , com todo o respeito pela generalidade dos ouvintes das rádios locais, para um público alvo tradicional, que não se interessa por outro tipo de programação, de modo a que as estações possam obter receitas publicitárias que lhes permitam sobreviver...


Cumprimentos,
Luís Carvalho

vitoscano disse...

Eu posso Agostar muito de ouvir o RCP mas se estiver em Bragança não posso ouvir só pela net.Durante muito tempo a Comercial nem chegava lá.
Nova Programação na rádio Jovem Antena3, dia 14 apresentação da mesma.

Anónimo disse...

Claro que parece bem, também a mim me parecia caso ganhasse algum com isso. Mas, para mim não passa de uma extensão da actual ditadura, controlo e poder. Nem sequer vejo a RTP, a mim não me serve, prefiro a SIC ou a TVI. Também não sou jornalista e como tal não tenho as ocultas benesses. É assim a vida, sinceramente vão trabalhar. Não vejo qualquer lógica, infelizmente não fomos invadidos pela Alemanha. Mas, como isto está, um dia destes os espanhois nos deitam a mão, e talvez o povo ainda agradeça...

Anónimo disse...

Sejam 43 ou 434 (o impulso para cascar no serviço público de rádio e televisão é tão cego que dá nisto), é favor não misturar RTP com RDP.
Sugiro ao DN que investigue quanto do bolo vai para a rádio e quanto vai para a TV...