«aquela magia da música que vem do éter, é um hábito que se está extinguir (…) a rádio enquanto escuta caseira é um hábito que faliu e que nos fugiu, e não há maneira de voltar». António Sérgio in "Suplemento DN" de 08 de Julho de 2005

quinta-feira, 26 de abril de 2007

Reescrevendo a história

Há acontecimentos históricos que são atribuídos, erradamente, a determinadas personalidades. Em 2001, o congresso americano retirou a patente do telefone a Alexandre Graham Bell e atribuiu-a a António Meucci.
Agora é a Tesla Memorial Society of New York que quer que a primeira comunicação transatlântica de Telegrafia Sem Fios (T.S.F.) seja atribuída a Nikola Tesla e não a Marconi. A apoiar esta pretensão, está um artigo do Jornal “O Século” que data de 25 de Fevereiro de 1901, onde diz que «O engenheiro electricista Galbraille partiu para Lisboa, onde vae tomar parte nas experiencias da telegraphia sem fios, pelo systhema Tesla. Este ultimo espera communicar facilmente entre Nova Jersey e a costa de Portugal». Marconi efectuou uma experiência de T.S.F. transatlântica com sucesso a 12 de Dezembro de 1901, entre Poldhu (Cornwall, Inglaterra) e St. John (Terra Nova, Canadá) - ou seja quase dez meses após esta notícia.
Há muitas dúvidas acerca de quem fez realmente a primeira transmissão via rádio. Entre outros, Landell de Moura e Nikola Tesla são candidatos ao lugar. O século XIX foi pródigo em situações dúbias, em que uma invenção era atribuída a um autor, que, afinal, se tinha apropriado indevidamente da ideia.

1 comentário:

Gabriel disse...

Interessante essa questão do telefone.
Há um outro «candidato» a pioneiro, um português: Johann Philipp Reis que em 1861 fez uma demonstração pública do seu «telefone» na Sociedade de Fisicos de Frankfurt, é reconhecido como o seu inventor e tem até selos com tal facto:
Ver http://ruadajudiaria.com/?p=468