«aquela magia da música que vem do éter, é um hábito que se está extinguir (…) a rádio enquanto escuta caseira é um hábito que faliu e que nos fugiu, e não há maneira de voltar». António Sérgio in "Suplemento DN" de 08 de Julho de 2005

sexta-feira, 5 de janeiro de 2007

Contestação às novas frequências da RDP-África

A RDP África vai alargar as emissões em Frequência Modulada às cidades de Faro e de Coimbra. O "Diário de Notícias" ouviu responsáveis da Associação Portuguesa de Radiodifusão (APR), da TSF e da RR, que se mostram contra este alargamento da RDP África. O grupo Media Capital Rádios (MCR) absteve-se de fazer comentários sobre este assunto.
Não vejo o porquê de tanta contestação. Será que existem mais emissoras com a vocação da RDP África? São poucas, muito poucas, as emissoras que dedicam espaços às comunidades de imigrantes. Nas que têm algum programa do género, este só ocupa uma ou duas horas, normalmente só uma vez por semana. Além do mais, a RDP África não vai concorrer no mercado publicitário e não silenciou nenhuma emissora local. Provavelmente será por isso que a MCR não fez comentários.

4 comentários:

Anónimo disse...

Mas vai roubar frequencias num espectro ja muito saturado. a frequencia de faro que era de uma local, até estava para ir a concurso.

Anónimo disse...

PORQUÊ SÓ EM COIMBRA E FARO? NO PORTO NÃO HÁ BLACKS. OU AS FREQUÊNCIAS DO PORTO SÃO PARA ALGUM AMIGO DO CONTERRANEO?

MIGUEL GONÇALVES PEREIRA disse...

Informo que já se encontra disponivel online a versão portuguesa do meu livro "Os Tigres de Saigão" (agenda da LUSA, hotel Tivoli Jardim, dia 15 pelas 19h00).

Cumprimentos,

Miguel Gonçalves Pereira

Anónimo disse...

adoro-vox , vcx sao unicox .