«aquela magia da música que vem do éter, é um hábito que se está extinguir (…) a rádio enquanto escuta caseira é um hábito que faliu e que nos fugiu, e não há maneira de voltar». António Sérgio in "Suplemento DN" de 08 de Julho de 2005

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Avanços e recuos no DAB

O Digital Audio Broadcasting (DAB) está estagnado na Europa e até no seu bastião – o Reino Unido – está a começar a recuar.

Não é estranhar que os fabricantes de receptores radiofónicos, ao lançarem novos modelos, ainda incluam sintonia em FM.

2 comentários:

Denudado disse...

Não é de estranhar que os fabricantes de telemóveis incluam cada vez mais rádio em FM ( em FM) nos novos aparelhos que vão colocando no mercado. Deixemo-nos de tretas. O DAB e o DRM falharam. Se eles não "pegaram" até aqui, não é agora que vão "pegar", por muito que a BBC (no caso do DAB) e a RTL (no caso do DRM) insistam neles. O futuro da Rádio não passa por esses sistemas, mas sim pela rádio via Internet, recebida através de Wi-Fi ou de outro sistema wireless que vier a surgir no futuro. Havendo milhões e milhões de "rádios" e de podcasts disponíveis na Net, porque é que se haverá de insistir em sistemas que se limitam a reproduzir o modo de fazer rádio do séc. passado?

Anónimo disse...

Não se esqueça que para já, no quarto de banho, na cozinha, no quarto de dormir, na praia, no meio de um monte, num jardim ou numa piscina e ainda no automóvel há muita gente a ouvir rádio.